Canais de mídia paga: como investir seu orçamento

Ilustração sobre Facebook ADS

Hoje em dia, é preciso saber entender quais são os canais de mídia paga disponíveis e como aplicar corretamente seu dinheiro em cada um deles. Assim, você consegue anunciar na internet de forma inteligente , expandir sua marca e fazer com que potenciais clientes encontrem você.

Antes dos canais de mídia paga

Antigamente, quando pensávamos em publicidade, logo vinha a mente a possibilidade de anunciar em jornais, revistas, rádio e TV, segmentando por meio do que o público lia, ouvia ou assistia. Na verdade, esses métodos “tradicionais” ainda existem e continuam forte no mercado, porém, com a expansão da internet, hoje há a possibilidades de refinar ainda mais seu público-alvo utilizando as mídias pagas disponíveis na web.

Conhecendo o Facebook e Google Ads

O Facebook e o Google são boas ferramentas para fortalecer determinada marca ou serviço na internet. Porém, antes de mais nada, é necessário avaliar sua presença no ambiente online para saber se todas suas estratégias estão alinhadas. Como assim? Pagar para aparecer sem ter um site institucional bem-feito ou redes sociais ativas pode ser uma furada. Você pode até atingir as pessoas, porém não haverá a identificação necessária para que o cliente efetue a compra.

Ads na prática

Falando primeiramente em Facebook Ads, podemos usá-lo de diversas maneiras, sempre unindo sua estratégia às ferramentas disponíveis no gerenciador de anúncios. A cobrança é feita através do tipo de divulgação. Por exemplo: CPM determina o custo por 1000 impressões, CPC cobra por clique e CPA significa o custo por aquisição. Brevemente falando, o primeiro tem como objetivo ampliar a consciência das pessoas com sua marca, o segundo é usado para aumentar o tráfego e o terceiro é indicado para o final da campanha, quando queremos que o usuário execute uma ação. Ainda falando em Facebook Ads, podemos usar segmentações específicas na hora de fazer uma campanha, determinando idade, sexo, interesses, cargos etc, ou, então, apresentando estratégias de públicos personalizados ou remarketing.

De olho no Google

O Google Adwords, ou Google Ads, é outra possibilidade entre os canais de mídia paga. Basicamente, ele refere-se a links patrocinados no maior canal de busca da web. Então, quando alguém faz uma pesquisa, seja por celulares ou desktop, os anúncios são exibidos de acordo com as palavras-chaves usadas na busca. Além disso, também há a possibilidade de exibir o anúncio em forma de banners e vídeos, em áreas especiais e de visibilidade em diversos sites parceiros do Google. É possível começar com pouco investimento, medir os resultados e, depois, aumentar o orçamento. Mais uma vez, é importantíssimo lembrar que o uso do Google Ads deve estar alinhado à uma estratégia mais ampla de comunicação para que a campanha não fique mais onerosa do que deveria.

Expanda suas ideias

Apesar de serem os mais comuns, esses dois canais que abordamos acima não são as únicas possibilidades na internet. Segundo o blog Resultados Digitais, referência em marketing na web, abrir o leque pode trazer excelentes frutos para seu negócio. Abaixo, seguem alguns deles:

Social Ads: LinkedIn Ads, Twitter Ads, Pinterest Ads e Instagram Ads
Pesquisa: Bing, Google, YouTube
Native Ads: Taboola e Outbrain
Retargeting: Criteo e Adroll
Vídeo: YouTube, Facebook, Mídia Programática
Usar Influenciadores Digitais de nicho: Air Fluencers, Influu ou Squid

Leia também:

O que é Software como Serviço (SAAS)?
A importância da redação publicitária
Mobile first: aumente o desempenho de seu site no celular

Compartilhe

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.